Bowie, o artista visual

David Bowie caiu na Terra. Escreveu sua história e voltou às estrelas. A nós, resta a saudade e seu legado, eterno.

David Bowie

Nesse assunto, evidentemente, para sempre nos lembraremos das músicas de Bowie. No entanto, muito devemos a ele em vários outros aspectos. Abordou questões de gênero com coragem nos anos 1970, deixou claro que todo mundo poderia ser o que gostaria de ser, nos convidou a dançar e a derrubar muros construídos pela falta de amor que sempre dominou o mundo.

Tudo isso foi suporte para o brilho estrelar de Bowie. E a parte mais enriquecedora ainda não foi citada aqui, porém toma o protagonismo do texto a partir de agora: a parte visual do artista.

Bowie nos propôs um novo olhar ao diferente através de suas roupas, maquiagens, penteados. Qual o lugar de um homem de batom na sociedade? Bowie respondeu: na capa de um disco, no vinil de sua casa. Como cronista visual, foi irretocável.

Abaixo algumas de suas capas de discos marcantes, que explicam, em parte, seu protagonismo estético em nosso planeta azul (e sobre isso Major Tom já nos alertou: não há nada que possamos fazer).

“The Man Who Sold the World” (1970)

David Bowie - The Man Who Sold the World

Sim. Quarenta e seis anos atrás Bowie usava vestido em uma capa de disco.

“Aladdin Sane” (1973)

David Bowie - Aladdin Sane

O fotógrafo desta capa, Brian Duffy, afirmou que criou o símbolo de raio no rosto de Bowie baseado em um desenho de seu fogão. Mal sabia ele que se tornaria o maior ícone da carreira do artista.

“Diamond Dogs” (1974)

David Bowie - Diamond Dogs

Versão estendida da capa de “Diamond Dogs”. A pintura de Guy Peellaert foi censurada em diversos países devido a genitália da criatura híbrida que representa Bowie na imagem.

“Heroes” (1977)

David Bowie - Heroes

Fotografia magnífica de Masayoshi Sukita, com referências à pintura de Erich Heckel.

“Outside” (1995)

David Bowie - Outside

Primeiro álbum de Bowie contendo uma pintura feita pelo próprio músico. Um autorretrato sufocante, descrita pelo artista como um “ritual de sacrifício”.

“The Next Day” (2013)

David Bowie - The Next Day

Feita como crítica à música contemporânea, um quadrado branco sobrepõe a capa de “Heroes”, assim como a música pop atual não parece se importar com o que foi produzido no passado. Palavras do artista da capa, Jonathan Barnbrook.

“Blackstar” (2016)

David Bowie - Blackstar

As estrelas estão, definitivamente, de luto.

Descanse em arte, David Bowie.

Anúncios

3 comentários sobre “Bowie, o artista visual

  1. Pingback: Cover Dose: David Bowie – Killian's Blog

  2. Pingback: Conexão: O Mágico de Oz, Pink Floyd, Paul McCartney e David Bowie – Killian's Blog

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s